Somos seres relacionais dependentes das conexões que construímos. Nossa sensibilidade pode ajudar ou atrapalhar na construção dessas relações, dependendo da intensidade com que a utilizamos. Pela análise da expressão corporal e facial podemos decifrar as pessoas — e elas a nós.

Interpretar códigos é a base da comunicação, e fazemos isso intuitivamente. Mas aqueles que dedicam atenção às expressões faciais e corporais conseguem ler e ver mais mensagens do que os demais que se preocupam apenas com as palavras.

Neste artigo, vamos mostrar que nossas ações e reações, assim como as de nossos interlocutores, são regidas por códigos às vezes imperceptíveis, mas sempre eficazes. Confira!

Como as expressões corporal e facial ajudam?

A quem fala

Para quem transmite uma mensagem, a expressão corporal pode facilitar ou complicar. Uma atitude relaxada favorece a comunicação, transmitindo segurança e autoridade, pois quem domina o assunto fala com tranquilidade sobre ele. Habilidades de comunicação são muito importantes para a carreira.

A postura ereta, sem rigidez excessiva, demonstra seriedade e dignidade, gerando credibilidade à mensagem e ao locutor.

As expressões faciais são capazes de impulsionar o que se fala, de acordo com a natureza de cada assunto. Mensagens entusiastas, transmitidas com a face iluminada por um sorriso e olhos brilhantes são capazes de contagiar quem as ouve. Ao mesmo tempo, comunicar situações sérias exige compenetração sem chegar à sisudez, e demonstram respeito ao conteúdo e ao interlocutor.

A quem ouve

Receber uma mensagem acompanhada dos sinais corretos facilita a compreensão e cria vínculo entre o ouvinte e o locutor. Essa conexão inicia uma interação entre plateia e palestrante, e, no caso de uma reunião ou apresentação de negócios, a distância para um correto entendimento fica mais curta.

MELHORE JÁ A SUA COMUNICAÇÃO VERBAL

Uma audiência que recebe os sinais corretos de quem fala, tem mais prazer em ouvir e se comporta com paciência e receptividade. O interessante é que essa reação da plateia acaba melhorando o clima e o ambiente tende a ficar ainda mais receptivo. Ganham todos nesse ciclo virtuoso.

Como são as expressões corporais?

Partindo para a prática, quais são, efetivamente, as expressões que geram resultados positivos e negativos em uma apresentação ou ao falar em público?

Expressões positivas

Gestos calmos ao falar demonstram autoconfiança e conhecimento do conteúdo. Interlocutores que se inclinam para frente demonstram interesse pelo assunto, assim como palestrantes com essa postura, frente a uma pergunta, mostram a mesma atenção.

Ao falar com um público maior, não se deve ficar “preso” a determinado lado do auditório ou grupo de pessoas (por exemplo, às primeiras cadeiras), mas deve-se usar todo o espaço. Percorrer os olhos pela plateia, focando-se, momentaneamente, em alguns participantes, transmitirá a ideia de inclusão, de uma comunicação sem exceções.

Um detalhe eficiente é virar o corpo na direção em que for olhar, mostrando atenção concentrada àquele lado do auditório, valorizando a audiência e facilitando a compreensão.

A técnica que gera mais resultados, e vem se destacando nas carreiras de executivos de sucesso, é o coaching, que tem suas bases construídas sobre a comunicação. A empatia é criada por meio da comunicação entre coach e coachee (cliente), sendo que as respostas para as perguntas decisivas se encontram dentro do cliente. Só a comunicação permite acessá-las.

Expressões negativas

Gestos exagerados devem ser evitados, pois transmitem a mensagem de manipulação e comunicação a qualquer custo. Deixar os ombros contraídos passa a impressão de insegurança, enquanto manter o corpo sob rigidez excessiva mostra nervosismo e falta de controle sobre o assunto e sobre a audiência.

Em grupos menores, seja em reuniões ou conversas informais, atitudes ligadas à aparência denotam necessidade de atenção. Mulheres que passam a mão nos cabelos excessivamente, assim como homens que arrumam várias vezes o nó da gravata, incorrem nesse erro.

Pessoas que fazem uma pergunta e imediatamente cruzam os braços, ainda que não tenham a intenção, mostram que não estão abertas às respostas, independentemente de quais sejam. Essa atitude interfere e gera reação em quem fala e em quem ouve, caso ambos saibam identificar os sinais.

Uma comunicação efetiva pode influenciar na produtividade da equipe, e os sinais podem mostrar algum problema nos ouvintes. Imagine se, em uma reunião, um dos participantes está sentado de maneira desleixada, em relaxamento excessivo. Isso mostra desrespeito e desinteresse para com o líder.

E as expressões faciais, como são?

É fato que nossas relações com amigos, colegas, família e clientes são resultados de nossa maneira de comunicar. O sucesso que alcançamos resulta do plano de carreira, mas nosso índice de satisfação com o patamar profissional atual tem relação direta com nosso êxito — pequeno ou grande — na comunicação.

Expressões faciais são as mais perceptíveis e comuns em nossa jornada de comunicação. Conversamos “olhando no olho”, mas enxergamos toda a face. Conseguimos detectar um deslize na credibilidade de determinada palavra, a falta de seriedade em uma frase e, voluntariamente ou não, julgamos nosso interlocutor.

Por esse motivo, as expressões faciais devem ser alvo de nossa atenção. Vejamos algumas.

Expressões faciais

Não dá para correr o risco de transparecer o que não se sente. Ao sentir entusiasmo, permita-se mostrar! Claro que é importante desenvolver a comunicação verbal, mas as expressões devem reforçar suas habilidades.

Pessoas com semblantes claros são consideradas hábeis em comunicação. Não por acaso são chamadas de expressivas. Falar bem muitos conseguem, mas praticar e desenvolver a expressão exige disciplina.

Alguns psicólogos defendem que pelo menos 7 expressões faciais são idênticas em todos os seres humanos, sendo elas medo, raiva, surpresa, nojo, desprezo, tristeza e alegria. Se eles estiverem certos, essa informação é mais um motivo para nos atentarmos ao assunto. Afinal, estamos todos expostos.

Os resultados alcançados com o desenvolvimento de habilidades de comunicação têm levado empresas a considerar treinamentos in company, objetivando desenvolver seus líderes e potencializar a interlocução das diretrizes estratégicas a todo o time. Treinamentos avançados em negociação, por exemplo, são ministrados não apenas ao setor comercial, mas incluem RH, compras e jurídico.

Impulsionar sua carreira depende somente de você.

Em alguns momentos parece que as coisas andam meio emperradas, falta alguma coisa e não conseguimos saber o que é. Dentre as principais habilidades e qualidades profissionais que todo mundo precisa ter, comunicação é, sem dúvida, aquela que fará mais diferença na performance do executivo. Mesmo porque, tanto erros quanto acertos, devem ser comunicados e são ingredientes fundamentais em qualquer receita de sucesso.

Agora que você entendeu a importância da expressão corporal e facial para o desenvolvimento de sua carreira, que tal aprender qual perfil profissional é preciso ter para crescer no mercado de trabalho atual?

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Os campos marcados são necessários *