Muito se fala sobre a importância do autoconhecimento e autodesenvolvimento na vida e na carreira, sendo uma das formas de aumentar o nível de consciência, de autoestima e, consequentemente, de melhor performance e produtividade.

Há que se pensar que o líder precisa avaliar o impacto de suas ações nas pessoas que estão ao seu redor.  Sem dúvida alguma, os líderes são, ou deveriam ser, os primeiros a darem exemplos de entrega pessoal, para se submeterem a uma análise de sua forma de se comportar. Se assim fizerem, certamente, os seus liderados se sentirão encorajados para se entregarem também ao processo de autoconhecimento e de mudança. Lembrando que toda mudança dentro de uma empresa inicia-se pela liderança.

Os gestores, tomando consciência de que o ser humano não é compartimentado, ou seja, quando entram na empresa não deixam sua vida pessoal na porta, passam a olhar e cuidar do colaborador.

O Colaborador precisa ser visto como ser integral – mental, emocional, espiritual e físico, portanto, o cuidado com esses quatro pilares faz com que o colaborador sinta-se acolhido e respeitado.

As formas de implantação da integralidade dentro das corporações são inúmeras. Uma delas é a valorização de programas de autoconhecimento, os quais têm o foco de mostrar, ao participante, as crenças limitantes, os padrões mentais e processos de ressignificação como primordiais. Antes de qualquer outro tipo de treinamento, faz-se necessário se autoconhecer, olhar para dentro de si, tomar consciência do potencial muitas vezes desconhecido e, também, dos limites externos e internos.

O autoconhecimento nos faz compreender a respeito de nossas reações, diante de determinadas situações, como base para mudanças, tornando-nos capazes de fazer escolhas conscientes, as quais nos levarão a uma satisfação e a um sentido de vida cada vez mais significativo e satisfatório.

O bom líder, consciente e praticante dessas vertentes, passa a valorizar e a aplicar, dentro da corporação, esses conceitos, obtendo mudanças significativas na produtividade e nos resultados.

Portanto, esteja atento às mudanças e busque formas e estratégias de implantação da integralidade e sustentabilidade dentro da sua empresa, mas, antes de tudo, primeiro comece por você, líder. Alinhe sua missão e seu propósito, descubra a si mesmo e propague esse valor ao bem mais precioso da sua empresa: as pessoas.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Os campos marcados são necessários *