Seja qual for sua área, assumir um cargo de gestão não é uma tarefa simples. Abandonar o papel de executor e assumir uma posição em que as pessoas esperam que você as direcione é uma atividade que amedronta até mesmo os mais experientes — e o desafio não encerra por aí.

O gestor precisa encontrar formas eficientes de administrar as tarefas do departamento, motivar seu time, conciliar os interesses da Diretoria à capacidade de produção da equipe, fornecer o feedback e até mesmo demitir. Para executar tudo isso, o apoio de alguém mais experiente faz toda diferença. Por isso o mentoring tornou-se tão popular no Brasil e no mundo.

O processo é similar ao coaching, o mentor, a partir de suas experiências, apresenta dicas, orientações e questionamentos que impulsionam o mentorado a modificar sua postura e assim atingir os resultados que almeja para si e para a organização em que atua.

Para que você também possa usufruir dos benefícios de um mentor, confira este artigo pois, nas próximas linhas, estão descritas a definição clara do que é o mentoring, como ele auxilia na sua carreira e vida pessoal e quais as opções disponíveis no mercado. Leia atentamente, faça anotações e considere contratar um profissional para auxiliá-lo em sua carreira.

O que é mentoring?

Como mencionado na introdução do presente artigo, o mentoring não é um processo de liderança, em que alguém determina o tipo de jornada que você deve seguir para atingir seus objetivos.

Ao contrário, o mentor não impõe verdades: a partir da experiência que obteve ao passar por uma situação semelhante a sua, ele apresenta orientações e questionamentos, que desafiam você e o inspiram a encontrar soluções diferenciadas e específicas para seu caso.

Para tornar mais palpável o papel do mentor, vejamos o caso do Pedro, analista de uma empresa de tecnologia, que, após um ano com excelentes resultados e entregas superiores à média dos colegas, fora promovido a um cargo de gestão em um grande projeto da companhia. Pedro não poderia estar mais empolgado, afinal, aquela promoção era o reconhecimento do trabalho bem feito no cargo anterior.

Contudo, apesar de ser muito produtivo e dominar a linguagem de programação com a qual trabalhava, Pedro não estava preparado para coordenar uma equipe de cinco pessoas e estimulá-las a fazer o mesmo que ele fazia antes da promoção.

O novo líder não sabia como orientar outros profissionais, tampouco cobrar de maneira firme e respeitosa as entregas fora do prazo. Fato que incomodava a diretoria e tirava o sono do gerente novato.

Nesse contexto, a Diretoria decidiu contratar um mentor profissional que, assim como Pedro, anos antes ascenderam de um cargo operacional para uma posição gerencial. O contratado vivenciou os mesmos desafios que Pedro, mas soube transpor as novas dificuldades, tanto que seu departamento entregou os resultados mais expressivos da empresa.

Por isso o mentor foi nomeado Diretor e posteriormente membro do conselho de administração da empresa em que trabalhava na época da promoção.

O mentor reunia-se com Pedro uma vez por mês e o questionava sobre os desafios que ele estava enfrentando no cargo. Ele ouvia atentamente os relatos, fazia questionamentos e apresentava como agiu ou agiria em uma situação semelhante. Ao fim dos encontros, questiona Pedro sobre qual seria a postura ideal no caso em específico.

Nesse exemplo fica claro o papel do mentoring como um momento de consultoria em que alguém mais experiente transfere por meio de questionamentos, dicas e desafios, conselhos relevantes para o mentorado construir um posicionamento consistente e de resultados.

Quais são as diferenças entre mentoring e coaching?

Contudo, apesar da clareza do exemplo, você pode chegar a uma dúvida: qual a diferença entre mentoring e coaching?

Esse segundo processo, mais popular no Brasil, como próprio nome já diz, se baseia na figura do treinador — o coach . Esse profissional utiliza métodos reconhecidos internacionalmente para ajudar o coachee — cliente — a compreender seus objetivos e traçar um planejamento passo a passo para alcançá-los. É como se o coach pegasse na mão do coachee e o levasse até seus objetivos por meio de uma rota estabelecida.

O coach ou treinador, assim como acontece nos esportes, não necessariamente traçou o mesmo caminho e atingiu os objetivos que o coachee almeja. Contudo, como um especialista, ele entende quais são as etapas fundamentais para estruturar um plano e executá-lo, seja qual for a área.

Por outro lado, no mentoring a experiência é um elemento indispensável e o mentor necessariamente tem uma história de sucessos ou mesmo de fracassos por meio da qual pode orientar o mentorado.

Em uma entrevista ao portal da revista Exame, Sidnei Oliveira, consultor e autor do livro “Mentoria: Elevando a maturidade e o desempenho dos jovens”, explica que existem três figuras fundamentais no desenvolvimento humano: o professor, o coach e o mentor. Figuras que podem estar inclusive centradas em uma mesma pessoa.

O professor é alguém que, em um estágio inicial de desenvolvimento, dá uma descrição clara e específica sobre como executar algo, como, por exemplo: olhe para os dois lados, verifique se não está passando nenhum carro, então atravesse a rua.

Já o coach é alguém que acompanha no processo. Ele pega a mão do coachee e, junto com ele, verifica que não existe nenhum carro próximo e só larga pulso do cliente quando ele está do outro da rua.

Por fim, o mentor é o instrutor que atravessa a rua sozinho e do outro lado diz “vem, se eu consegui, você também consegue”.

Ficou mais clara a definição? Caso queira saber mais sobre o desenvolvimento de habilidades leia o artigo da Passadori.

Quais são os tipos de mentoring?

Nesse ponto do artigo, você deve ter a clareza que o mentoring é um processo de orientação e transferência de conhecimento em que um mentor apresenta ao cliente seus aprendizados ao passar por uma situação semelhante àquela em que assessora o mentorado.

No entanto, existem formas diversas de realizar esse processo e, nas próximas linhas, estão dispostas as classificações mais comuns do processo de mentoria. Confira cada uma delas.

Mentoring formal e informal

A primeira e mais óbvia distinção é aquela que existe entre os mentores profissionais e os conselheiros que você adota ao longo da sua vida. No primeiro modelo, mesmo que não haja uma retribuição financeira, existe um ritual padronizado por meio da qual a mentoria é implementada. Um calendário de reuniões, com tempo pré definido e resultados esperados.

Por outro lado, o mentoring informal ocorre quando você encontra alguém dentro da sua empresa ou do seu círculo de relações que está ou esteve em uma posição profissional hierarquicamente superior a sua e está disposto a repassar alguns conselhos com base na própria experiência.

Esse segundo caso aconteceria, por exemplo, caso o Pedro, personagem do exemplo, contasse com o apoio do antigo gestor da área que assumiu. Em algumas reuniões esporádicas ou conversas durante o cafezinho, o antigo gerente apresentaria seus métodos para conduzir a equipe.

Mentoring interno e externo

O mentoring, no caso específico do processo organizacional, pode ser externo ou interno. Um deles caracterizado por mentor e mentorado fazerem parte da mesma empresa e o outro com base em uma figura externa a organização.

Ambos os modelos têm vantagens e desvantagens e é preciso avaliar qual a solução mais adequada para seu contexto profissional.

Por um lado, o mentor interno entende os processos, hierarquias e o modelo de negócios da sua organização com mais profundidade e pode prever entraves da cultura e administração interna a seus objetivos, bem como identificar as oportunidades específicas da sua empresa.

Em lado oposto, o mentor externo consegue olhar para as questões de forma holística e inovadoras e trazer contribuições do mercado diferentes daquelas que estão em vigor na sua empresa hoje. Esse profissional traz ainda a bagagem de outros negócios em que já atuou.

Mentoring horizontal

A relação entre mentor e mentorado pode ser ainda horizontal em que pessoas que vivem o mesmo contexto compartilham as vivências e os resultados sejam eles positivos ou negativos. Eles ainda trocam recomendações sobre como agiriam caso estivessem na função do outro.

Retornando ao caso do analista de tecnologia que fora promovido a gerente, uma possibilidade para a empresa seria constituir um grupo em que ele, juntamente de outros líderes que assumiram a posição recentemente, compartilhasse os aprendizados adquiridos na função.

Um dos pontos mais benéficos desse tipo de mentoria é a relação empática entre os mentorados e mentores que, como partilham do mesmo contexto, tem mais facilidade de se colocar no lugar do outro.

Além disso, por estarem na mesma situação e estágio, todos sentem mais facilidade em expor seus desafios e percalços, sem medos de julgamentos.

Orientação em grupos

A mentoria também pode ser um processo coletivo em que um mentor atua simultaneamente com múltiplos mentorados. Esse processo é muito comum no ambiente digital, em que profissionais de renome em áreas como gestão de pessoas, comunicação corporativa, empreendedorismo e tecnologia criam salas virtuais, nas quais compartilham com a plateia suas experiências, recomendações e respondem às dúvidas da audiência.

Esse tipo de sessão consegue simultaneamente absorver os benefícios de um mentor profissional e da mentoria horizontal, pois, um mentorado aprende com as dúvidas do outro.

Mentoring express

Sem a pretensão de esgotar as possibilidades de mentoring, existe a mentoria expressa. Nesse modelo de orientação, o mentor e mentorado tem um período reduzido de contato, muitas vezes em uma única sessão.

O grande benefício é agilidade, afinal, o mentor precisa em um curto espaço de tempo repassar o máximo conhecimento e, com isso, causa uma transformação grande o suficiente para ampliar a performance do mentorado.

Quais os benefícios do mentoring?

Seja qual for o modelo adotado para o processo, o mentoring tende a fornecer uma série de benefícios para todos os integrantes da relação: mentor, mentorado e empresa.

Confira abaixo os principais impactos de uma mentoria.

Melhoria de desempenho

A primeira e talvez maior expectativa de quem procura um mentor é a melhoria de desempenho, consequência clara da atuação desse especialista. Afinal, um dos requisitos fundamentais para o desenvolvimento de qualquer habilidade, seja ela gerencial ou de execução, é a experiência.

No mentoring você poderá beber de uma fonte com grande experiência para turbinar seu desempenho na carreira.

Redução de erros gerenciais e de operação

Da mesma forma, o mentor com sua expertise adquirida durante os anos de atuação na área, poderá adverti-lo quando você for empreender uma ação que certamente trará impactos negativos.

Claro, você não precisa seguir todos os conselhos do mentor, mas se você apenas se opor a ele quando tiver convicção em uma ação diferente da recomendada, os empreendimentos terão uma taxa de sucesso muito superior.

Partilha de Informações

A essência do mentoring é a partilha e tanto o mentor quanto mentorado acabam evoluindo em sua carreira e habilidades pessoais, com base no conhecimento do outro. Se por um lado o especialista coloca sua experiência a serviço do mentorado, ele também atualiza o mestre com novas vivências e a aplicações práticas.

Aumento da satisfação no trabalho

Após um processo de mentoring, o Pedro, personagem do nosso exemplo que estava a ponto de repensar se a promoção havia sido de fato uma boa, certamente mudou de ideia. Afinal ele entendeu como executar a função, reduziu a taxa de erros, se arriscou menos em atitudes e empreendimentos que não valeriam a pena. O jovem gestor aprendeu com um profissional C-level como lidar com a diretoria.

Como atitudes semelhantes geram resultados semelhantes. Se assim como Pedro você contratar um mentor, ficará mais satisfeito como trabalho que exerce.

Redução do turnover organizacional

Para a empresa, a mentoria é o fim ou ao menos a atenuação de um dos maiores pesadelos organizacionais: a evasão de bons profissionais.

Afinal, se estão satisfeitos com os resultados que obtém e com a posição que ocupam, os funcionários não procurarão outras oportunidades, tampouco se sentiram tentados por propostas da concorrência.

Network com profissionais da área

Ao possibilitar o intercâmbio entre dois profissionais da mesma área, o mentoring amplia sua rede de contatos e ajuda a localizar novas oportunidades de trabalho e negócios.

A regra aplica se ao mentor e ao mentorado e a toda a rede de contatos que os dois mantém. O especialista pode, por exemplo, indicar um curso de gestão, ou recomendar outros profissionais que mentora para as vagas da sua empresa.

No caso do mentoring interno, o mentor pode ainda apresentar para outros times da empresa os desafios que você enfrenta e que precisam da intervenção de um superior. Da mesma forma, ele pode apresentar ideias de empreendimentos que você tem em mente.

Visibilidade de talentos e competências

A mentoria ainda coloca um holofote sobre seu talento e competências, não apenas para a empresa, mas para todo o mercado. Caso você tenha escolhido um mentor que seja respeitado em seu ramo de atuação o trabalho com ele pode ser um bom adicional em seu currículo.

Desenvolvimento de competências

O mentoring é ainda uma forma de desenvolver competências essenciais para seu desenvolvimento tanto pessoal quanto profissional.

O mentoring é para mim?

Apesar do foco dado à figura do jovem gestor, o mentoring é um processo abrangente, que compreende o desenvolvimento individual, seja ele pessoal ou profissional. Logo, esse modelo é para qualquer pessoa.

Para a Juliana, por exemplo, que acabou de se formar em Direito, mas não consegue passar no Exame da OAB, tampouco no concurso público para Juíza Federal, seu sonho desde o primeiro semestre da faculdade.

Ela pode solicitar o apoio de um concurseiro experiente, aprovado em várias provas. Ele vai dar as orientações essenciais para manter o foco ao longo da preparação e direcionar seus estudos da melhor forma.

O mentoring também é para o Fernando que há anos sonha em conquistar um físico mais saudável e forte, além de se livrar do excesso de gordura. Em síntese, qualquer pessoa que necessite de ajuda para evoluir em algum campo da vida — pessoal, profissional, emocional, físico, espiritual, familiar ou de relacionamentos — pode contar com o auxílio de um mentor.

Como escolher a melhor opção?

Contudo, independentemente de qual seja a área em que você busca um mentor, para obter resultados consistentes, é necessário identificar algumas competências essenciais. Afinal esse profissional será o responsável por dar um norte que o guiará da busca por seus maiores objetivos e da sua empresa.

Para que você tenha sucesso nessa decisão, elencamos algumas perguntas indispensáveis para verificar antes de escolher um mentor.

Seu mentor tem experiência na área?

Como mencionado ao longo do presente conteúdo, a principal característica de um mentor é a experiência. Um profissional desse segmento que não traçou a rota que você pretende iniciar não é capacitado para orientá-lo.

Afinal, como alguém que nunca construiu um negócio pode ajudar um empreendedor iniciante a prever gargalos de produção ou planejar seu pitch para investidores? Como um solteiro convicto pode dar dicas sobre a construção de casamento saudável? As questões valem para qualquer outro caso.

Na entrevista a Exame, Sidnei Oliveira citou o caso mais bizarro que já viu: um homem que ministrava uma mentoria de empoderamento feminino.

O profissional é um case de sucesso no campo de atuação?

Como mencionamos, o mentor contribui com o cliente a partir das suas experiências, sejam elas sucessos ou fracassos. Esses últimos podem até ser mais pedagógicos que os primeiros.

Entretanto, caso ele tenha de fato aprendido com os fracassos, deve utilizar o aprendizado para dar a volta por cima e conquistar o sucesso. Como dito por Lao Tsé, “saber e não fazer ainda não é saber”.

Você admira o candidato a mentor como profissional?

O mentoring só surtirá os efeitos esperados se você assimilar e colocar em prática os aprendizados obtidos com o seu mentor. Ainda que você não siga a risca todas as orientações, é preciso ouvi-las com atenção e sempre repensar suas decisões e as atitudes a partir do que foi dito por ele.

Dificilmente você seguirá os conselhos de alguém que você não admira e respeita. Então, leve isso em conta antes de contratar o serviço de mentoria.

O candidato a mentor conta com certificação em mentoring?

Ao contratar um mentor, você deve considerar também se ele se dispõe de formação metodológica e uma certificação na área.

Apesar de ser uma área nova, existem instituições no Brasil, como a Passadori Educação em Comunicação, que orientam a postura dos mentores durante o trabalho. Essas instituições indicam e fornecem ferramentas e metodologias adequadas às melhores práticas internacionais.

Por isso, verifique se seu mentor conta com certificação e qual instituição reconhece as habilidades dele como profissional do desenvolvimento humano.

Ele respeita suas decisões?

Por fim, após iniciar a mentoria, verifique como o mentor responde a seus questionamentos e decisões. Ele está realmente disposto a ouvir e apresentar orientações personalizadas para o seu caso?

Caso a resposta seja negativa e o mentor entregue uma avalanche de soluções prontas, como uma receita de bolo, considere trocar de profissional. Afinal só está apto a aconselhar e orientar quem está disposto a ouvir. Comunicação deve ser sempre o resultado de uma relação de troca e partilha.

Em síntese, o trabalho do mentor consiste em estimular o mentorado a atingir objetivos que ele próprio já conquistou. Por meio da experiência adquirida após conquistar um objetivo, o mentor pode aconselhar e orientar o mentorado. Dessa forma o cliente desenvolverá habilidades e tomar decisões mais eficazes que reduzam seus erros e ampliem seus resultados.

Existem diversas formas para prestação dessa mentoria que pode ser exercida por um profissional especializado, ou executivo da sua própria empresa. O processo pode ainda ser realizado de maneira horizontal ou online.

Entretanto, para que se conquiste os objetivos almejados com um mentor é preciso que ele tenha experiência na área, conte com certificações em mentoria e esteja disposto a ouvi-lo, e não apenas entregar soluções prontas.

Se após a leitura deste conteúdo você está convencido de que o mentoring pode ser uma opção viável para impulsionar seus resultados e levá-lo ao próximo nível da sua carreira, fale com a Passadori Educação e Comunicação e alcance outro nível de excelência.

 

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Os campos marcados são necessários *